Portugal

Filha mata a mãe com comida envenenada

A Polícia Civil revelou Paloma Vasconcelos, de 21 anos, disse em depoimento que começou a planejar a morte da própria mãe, depois de ser obrigada a abortar um bebê em 2017. Dircelene Botelho Garcia, de 51 anos, morreu asfixiada e foi torturada por 40 minutos pela filha e o namorado dela, Gabriel, de 26.

Em depoimento, Paloma contou que engravidou no ano passado e contou para a mãe sobre a gravidez, mas foi convencida a abortar.

Há um fundo passional. Ela disse que ficou grávida e a mãe teria forçado um aborto. A partir daí, ela coloca essa data como a data inicial, em que ela começa a pensar o que ela faria para matar a mãe-

Claudio Batista

O delegado diz ainda que a jovem planejou a morte da mãe durante vários meses e que convenceu o namorado a ajudá-la. A suspeita chegou a pesquisar na internet formas de matar a mãe e, em uma das tentativas, colocou herbicida no vinho da vítima.

Dircelene Botelho, de 51 anos, morreu asfixiada em Petrópolis, RJ; filha e namorado são suspeitos — Foto: Reprodução/Facebook

Dircelene Botelho, de 51 anos, morreu asfixiada.

Carta para a mãe

A Polícia Civil encontrou uma carta dentro de um caderno no quarto de Paloma. Um dos trechos diz:

“Você podia ter abortado, mas preferiu ter me criado com falta de seu amor materno. Você não sabe a falta que me faz”.

De acordo com Claudio Batista, a carta “anuncia um sofrimento por achar que não tinha um tratamento que gostaria de ter por parte da mãe”.

Ver vídeo



Fonte: Globo