Tecnologia

Facebook chega aos 15 anos com receita em alta e sob escrutínio

Mark Zuckerberg, presidente-executivo do Facebook , começou e terminou 2018 com pedidos de desculpas. A quebra de confiança com parte da rede social não impediu a companhia de chegar aos 15 anos reafirmando seu potencial financeiro, com crescimento de 30% na receita trimestral, lucro recorde e aumento da base de usuários, que chegou a 2,53 bilhões por mês.

Na quarta-feira (30), a empresa informou que, no ano em que enfrentou o maior escrutínio em razão de casos de violação de dados, a receita cresceu 37%, e o lucro, 39%.

A empresa planeja redesenhar os aplicativos e reunir o serviço de troca de mensagens das três plataformas. A mudança deve ocorrer em 2020.

Para analistas, a estratégia tende a garantir mais lucro e firmar a empresa em mercados emergentes onde o WhatsApp não encontra rival à altura, como Índia e Brasil.

“Já é difícil ter competidor em países em desenvolvimento, imagine com a fusão dos três”, diz Yasodara Córdova, pesquisadora na Digital Harvard Kennedy School.

A forma como o Facebook conduzirá essa transformação ainda é incerta, mas a justificativa para o plano é simples. O Facebook terá mais condições de entender o fluxo de mensagens e, assim, direcionar melhor os anúncios. 

Para ter WhatsApp, a pessoa fornece o número de celular, que pertence à infraestrutura das operadoras. Num futuro próximo, talvez possa acessar pelo login do Facebook.

“Ao integrar os produtos, o grupo fecha o ciclo e se posiciona em todos os cantos da internet. Há o app Instagram, o ponto web do Facebook e o espaço para mensagens. Amplia os pontos de venda para incluir publicidade”, acrescenta a pesquisadora.


Fonte: Folha