Portugal

Bairro da Jamaica regressa à tranquilidade mas contam-se os dias para o realojamento

Vanessa Coxi vive no bairro e é familiar de alguns dos moradores que participaram no incidente de domingo, do qual resultaram vários feridos e um detido, tendo garantido que “não foi atirada nenhuma pedra” aos agentes da PSP e que a situação piorou após “terem colocado os sogros ao barulho”. “Quando a minha cunhada bateu no polícia, foi porque ele já tinha batido na mãe dela. Não há ninguém que consiga ver uma pessoa a bater nos pais e ficar quieto”, conta.

No domingo de manhã, 20 de janeiro, a PSP foi chamada a Vale de Chícharos, mais conhecido como bairro da Jamaica, após ter sido alertada para “uma desordem entre duas mulheres”, o que resultou no ferimento, sem gravidade, de cinco civis e de um agente. A PSP abriu, no mesmo dia, um inquérito para “averiguação interna” sobre a “intervenção policial, e todas as circunstâncias que a rodearam”.

Devido a esta ocorrência, realizou-se uma manifestação em frente ao Ministério da Administração Interna, em Lisboa, tendo os manifestantes subido, por volta das 17:00, a Avenida da Liberdade, em direção ao Marquês de Pombal, onde ocuparam a praça central. Os protestos acabaram em violência, com arremesso de pedras e disparos com balas de borracha. Quatro pessoas foram detidas. Contudo, Vanessa Coxi afirmou que os moradores do bairro não organizaram nenhum destes movimentos.

“Temos que agradecer o apoio que nos tem vindo a ser dado, mas também vou aproveitar a oportunidade porque tenho que exigir que retirem uma mentira. […] Dizem que foram os moradores do bairro que convocaram a manifestação, mas não foi ninguém aqui do bairro”, reiterou. Todas as pessoas com quem a Lusa falou esta manhã, em Vale de Chícharos, disseram não ter participado no protesto e, para Vanessa Coxi, as revoltas devem-se a situações semelhantes que acontecem noutros bairros.

“O que ocorreu aqui foi o culminar de tudo o que já se tem vindo a passar, não só aqui na Jamaica, mas também noutros bairros, porque é comum acontecer o que aconteceu aqui no domingo. Foi apenas mais um episódio e foi o que acabou por gerar esta onda de indignação”, indicou.

Também Vital Pedro, morador no bairro há quase 20 anos, confirmou que estas situações com a polícia são recorrentes na Jamaica, mas que desta vez “foi muito violento”.

Ver vídeo



Fonte: Sapo