Mundo

Austrália atinge recordes de temperatura com milhares de animais vítimas de calor

Quem vive na cidade australiana de Adelaide suportou os 46.6 graus que se fizeram sentir esta quinta-feira, o dia mais quente dos últimos 80 anos. A 300 quilómetros, em Port Augusta, os termómetros atingiram os 49,5 graus, um novo recorde. Na região Norte, o calor extremo levou à morte de 90 cavalos selvagens. A Austrália está a viver sob uma segunda onda de calor há duas semanas.

A cidade de Adelaide, no Sul da Austrália, registou uma temperatura de 46.6 graus centígrados, o que faz desta quinta-feira o dia mais quente alguma vez vivido numa qualquer capital do país desde que há 80 anos começaram a ser feitos registos de temperatura.

Um novo recorde também foi registado em Port Augusta, a 300 quilómetros de Adelaide.

O calor vai propagar-se para os estados de Nova Gales do Sul e Vitória, que vão esta sexta-feira registar as temperaturas mais elevadas. Desde a semana passada que diariamente são atingidos novos recordes de temperatura por todo o a Austrália.

A Austrália está desde 12 de janeiro sob uma forte onda de calor. Na semana passada, os termómetros registaram 45 graus, o que levou as autoridades a acionar o “código vermelho”, enviando os sem-abrigo para abrigos.

As autoridades fazem alertas de saúde e pedem às pessoas que permaneçam em ambientes fechados e diminuam a atividade física, em particular os idosos, doentes crónicos e crianças.

As ondas de calor consecutivas têm sido constantes ao longo do Verão, estação que o instituto de Meteorologia previu como mais quente e seco do que a média, como consequência das alterações climáticas.

Em Melborne, as meias-finais do Open da Austrália jogaram-se sob 43 graus.
Cavalos selvagens morrem desidratados
Noventa cavalos selvagens foram descobertos mortos ou moribundos, junto a um poço seco de Alice Springs, na semana passada. Cerca de 40 dos animais morreram de fome e desidratação, mas os sobreviventes também foram abatidos.

A descoberta foi feita por guardas, na sequência do alerta de uma comunidade aborígene. As imagens são perturbadoras. Citado pela BBC, Ralph Turner, o morador que fotografou e divulgou as imagens do local, classificou o cenário como uma “carnificina”.

Com cerca de 25 mil habitantes, Alice Springs regista há mais de duas semanas temperaturas superiores 42ºC, mais de 6ºC acima da média de janeiro, de acordo com o Instituto australiano de Meteorologia.
Peixes, morcegos, camelos.

O calor extremo provoca receios de mais mortes em massa de peixes, nos Lagos Menindee, no estado vizinho de Nova Gales do Sul. “Não há oxigénio na água, vem outro dia quente e pode estar cheio de peixe”, lamentava um morador. Neste estado já foram encontrados cerca de um milhão de peixes nas margens dos rios.

Ainda na Nova Gales do Sul foi divulgada a morte em massa de morcegos nativos, encontrando-se sob ameaça outras espécies de animais selvagens.

Na região de Goldfields, no Oeste da Austrália, as autoridades abateram 2.500 camelos que, chegados do deserto de Gibson, estavam a morrer de sede.

Ver vídeo



Fonte: RTP